ROTA 2ª INVASÃO DE PORTUGAL

Após o retumbante fracasso da invasão de Portugal pelas tropas napoleónicas, salvas da catástrofe pela incompetência dos comandantes britânicos que tinham libertado Wellington do comando pouco antes, haveria novos movimentos. A segunda invasão francesa de Portugal foi uma nova tentativa de tomar o controlo de Portugal após o fracasso de Junot e fez parte das operações concebidas pelo próprio Napoleão para cortar o retiro britânico através de Espanha, que finalmente teve lugar a partir do porto de A Corunha. Uma vez terminada a chamada “Race of the English” com o embarque das forças britânicas para as ilhas, mas não antes de lamentarem a perda do seu comandante-chefe Moore, os franceses conseguiram concentrar os seus esforços na fronteira sul.

O Marechal Soult estava encarregado de fazer uma nova tentativa de ocupação e controlo territorial, desta vez entrando em território português através da região de Tras-Os Montes a caminho do Porto, após uma primeira tentativa sem sucesso através da fronteira galega. A ideia era fazer uma espécie de tesoura com o avanço do General Lapisse e do Marechal Victor através da Extremadura a caminho de Lisboa.